Make your own free website on Tripod.com

ENDOCRINOLOGIA

 

 

Profº Luciano Senti da Costa

 

As funções do corpo são reguladas por dois grandes sistemas:

-          Sistema nervoso;

-          Sistema endócrino ou hormonaL.

 

Sistema endócrino:

-          Intimamente ligado com as diferentes funções metabólicas do corpo;

-          Com a velocidade de reações químicas nas células;

-          Transporte de substâncias através das membranas celulares;

-          Crescimento, secreções.

 

O que é um hormônio?

-          Substância química secretada para os líquidos corporais internos por uma célula ou um grupo de células, exercendo um efeito fisiológico de controle sobre outras células do corpo.

 

-          Hormônios locais: Acetilcolina, secretina, etc. (efeitos locais específicos);

-          Hormônios gerais: Adrenalina (tem ação geral). A maioria é secretada por glândulas endócrinas específicas e agem em vários tecidos-alvos.

 

 

Natureza dos hormônios:

Química:

 

1.      Hormônios esteróides: semelhantes ao colesterol, possuem um núcleo esteróide, na maioria são derivados do colesterol.

 

-          São secretados pela:

-                      Córtex adrenal (cortisol/ Aldosterona)

-                      Ovários (estrogênio/progesterona)

-                      Testículos (testosterona)

-                      Placenta (estrogênio/progesterona)

 

2.      Derivados do aminoácido Tirosina

 

Tireóideos:

-                      Tiroxina

-                      Triiodotiorina

 

Medula da supra-renal:

-                      Adrenalina / Noradrenalina

 

3.      Derivados de proteínas / peptídeos.

 

-          Os hormônios da hipófise são proteínas.

-          A insulina, glucagon e o paratormônio são grandes polipeptídeos.

 

RECEPTORES HORMONAIS E ATIVAÇÃO

Os hormônios geralmente se combinam com receptores nas superfícies das células ou dentro das celulas.

A combinação do hormônio ao seu receptor ocasiona uma série de reações em cascata.

Cada célula a ser estimulada possue 2000 a 100.000 receptores.

Cada receptor é específico para um único hormônio.

 

LOCALIZAÇÃO DOS RECEPTORES

-          Dentro ou na superfície da membrana celular (adrenalina, noradrenalina e hormônios protéicos)

-          No citoplama celular (hormônios esteróides)

-          No núcleo da célula (hormônios tireóideos).

 

REGULAÇÃO DO NÚMERO DE RECEPTORES

O número de receptores não permanece constante, ocorre uma regulação para baixo, quando o receptor não atua.

Regulação para cima, quando é necessário um maior número de receptores para aumentar a sensibilidade.

 

MECANISMOS DE AÇÃO HORMONAL dos hormônios

 

1.      Alteram a permeabilidade da membrana – neurotransmissores;

2.      Ativação de uma enzima intracelular – Insulina;

3.      Ativação de genes pela fixação à receptores intracelulares – Esteróides/Tireóideos.

 

OS HORMÔNIOS E O PAPEL DOS SEGUNDOS MENSAGEIROS

A ativação dos segundos-mensageiros é que causa todos ou a maioria dos efeitos intracelulares do hormônio, assim o único efeito causado pelo hormônio é a ativação do segundo mensageiro

 

 


HIPÓFISE E REGULAÇÃO HORMONAL

 

Neurônios especiais no hipotálamo sintetizam e secretam os hormônios hipotalâmicos de liberação e de inibição que controlam as secreções dos hormônios da hipófise anterior.

Estes neurônios originam-se em vários núcleos do hipotálamo e mandam suas fibras nervosas para dentro da eminência média.

A natureza dessas fibras é diferente das fibras do sistema nervoso central, pois não transmitem sinais, mas apenas secretam hormônios hipotalâmicos de liberação e inibição.

Quando secretados são rapidamente absorvidos pela hipófise anterior.

 

FUNÇÃO DOS HORMÔNIOS DE LIBERAÇÃO E DE INIBIÇÃO DA HIPÓFISE ANTERIOR

Controlam a secreção dos hormônios da hipófise anterior. Para a maioria dos hormônios os mais importantes são os hormônios de liberação, mas para a prolactina um hormônio inibitório é que tem mais importância.

Os hormônios de liberação e inibição são os seguintes:

 

1)     Hormônio de liberação da Tireotropina (TRH) – que causa a liberação do hormônio Tireo-estimulante – TSH

2)     Hormônio de liberação da corticotropina (CRH) – causa a liberação da adrenocorticotropina.

3)     Hormônio de liberação do hormônio do crescimento (GHRH) – causa a liberação do hormônio do crescimento e hormônio de inibição do GH = somatostatina, inibe a secreção do GH;

4)     Hormônio de liberação das gonadotropinas (GnRH) – causa a liberação de LH e FSH.

Hormônio de inibição da prolactina.

 

 

CÉLULAS DA HIPÓFISE ANTERIOR - ADENOHIPÓFISE

 

Células secretoras:

1.      Somototropos – GH

2.      CORTICOTROPOS – ACTH

3.      TIREOTROPOS – TSH

4.      GONADOTROPOS – GnRH

5.      LACTOTROPOS – PRL

 

 


GH – Hormônio do crescimento, somatotropina

Pequena molécula de proteína com 191 aminoácidos.

 

1.      Causa o crescimento de quase todas as células que tem capacidade de crescer;

2.      Promove o aumento do tamanho das células e de mitoses, aumenta o número de células;

3.      Aumento da síntese de proteínas em todas as células;

4.      Mobilização aumentada dos ácidos graxos do tecido adiposo, aumentando os ácidos graxos livres no sangue, para utilizar como energia;

5.      Diminuição da utilização de glicose por todas as células do corpo;

6.      Aumento da secreção de insulina e deposição aumentada de glicogênio;

7.      Acentua quase todas as formas de captação de aminoácidos e a síntese de proteínas pelas células, reduzindo a quebra de proteínas.

Sem o pâncreas não ocorre crescimento, pois a insulina deposita os aminoácidos nas células e a glicose também.

O GH estimula o crescimento ósseo, causando a deposição de proteína nas células ósseas, aumenta a taxa da reprodução da células ósseas e propicia a deposição de novas células no osso novo.

Uma vez que as epífises tenham se unido com as hastes o GH não alonga mais os ossos.

 

TSH – Tíreo-estimulante

Tiroxina – T4 – 93%

Triiodotironina – T3 – 7%

Calcitonina

Quase toda a Tiroxina é convertida em T3 pois T3 é 3x mais potente que o T4.

Para formar quantidades normais de Tiroxina são necessárias cerca de 50mg/ano de Iodo, na forma de iodeto, ou seja, 1mg/semana.

No sal de cozinha existe 1 parte de iodo para 100.000 partes de NaCl, o iodeto ingerido é reabsorvido pelo intestino, a parte não utilizada é excretada rapidamente pelos rins.

Efeitos:

 

1.      Metabolismo de carboidratos:

-         Aumenta a captação de glicose;

-         Aumenta a glicólise – quebra de glicogênio;

-         Aumenta a gliconeogênese – formação de glicose a partir de aminoácidos e outros substratos;

-         Aumento da secreção de insulina.

 

2.      Gorduras:

-         Quebra de gorduras ( Lipólise);

-         Aumento de ácido graxo livre no plasma;

 

3.      Vitaminas:

-         Aumenta a necessidade de vitaminas;

 

4.      Peso:

-         Diminui a massa corporal  (aumento dos hormônios)

-         Aumenta a massa corporal (diminuição do hormônio).

 

5.      Aumenta a força do batimento cardíaco, aumenta o volume sanguíneo, aumenta a pressão arterial, aumenta a frequência cardíaca e o débito cardíaco (ocorrem devido ao aumento de T3 e T4).

 

 

ADRENAIS (ACTH)

Medula da Adrenal – Adrenalina e Noradrenalina;

 

Córtex da adrenal – CORTICÓIDES:

-         Mineralcorticóides – Aldosterona

-         Glicocorticóides – Cortisol

-         Androgênios – Testosterona

 

Aldosterona:

Aumenta a reabsorção de Sódio e excreção de potássio, diminuindo assim o potássio plasmático;

Aumenta a pressão arterial e o volume do líquido extracelular.

 

Glicocorticóides: (cortisol)

Aumenta a gliconeogênese em 60% (substratos – ácidos graxos, aminoácidos e proteínas)

Aumenta a glicose sanguinea.

 

 

PÂNCREAS

Insulina,  Glucagon e Somatostatina.

 

A insulina inibe enzimas hepáticas que causam a quebra do glicogênio;

Aumenta a captação de glicose e transformam para glicogênio, aumentando a síntese de glicogênio;

O efeito do glucagon é oposto ao efeito da insulina.

A somatostatina atua na inibição de insulina e glucagon.

 

 

PARATIREÓIDE

Paratormônio:

A formação dos ossos e dentes está intimamente ligada a dois hormônios: paratormônio e calcitonina, pois eles regulam e reabsorção de cálcio no organismo.

O paratormônio retém cálcio e a calcitonina (secretada pela tireóide) diminui o cálcio plasmático, causando efeitos contrários o paratormônio.

Normalmente o cálcio é mal absorvido nos intestinos, portanto a vitamina D causa a reabsorção do cálcio necessário para o organismo.

Os efeitos da vitamina D no organismo são: aumento da absorção de cálcio no intestino e a reabsorção de cálcio pelo osso.

Na realidade não é a vitamina D que causa os efeitos, mas sim a vitamina D3, que é uma forma da vitamina D, mas ativa. Quando expomos nossa pele ao sol os raios ultra-violetas do sol transformam a vitamina D em D3 na pele e esta forma ativa é que causa os efeitos nos ossos e nos dentes. A vitamina D3 também causa um aumento do Magnésio, hidrogênio plasmáticos, causando também excreção de Na/K e aminoácidos.

 


Hormônios Masculinos

1)     Testosterona, produzido pelas células de Leydig – causa o crescimento e formação dos espermatozóides;

2)     LH – estimula as células de Leydig a produzirem testosterona;

3)     FSH – atua nas células de sertoli, transformando as espermátides em espermatozóides;

4)     Estrogênios – causa a maturação dos espermatozóides;

5)     GH – atua nas funções metabólicas.

 

Efeitos da Testosterona:

 

Hormônios Femininos:

FSH

LH

 

 

 

HORMÔNIOS DA HIPÓFISE POSTERIOR OU NEUROHIPÓFISE

 

Ocitocina e ADH

Ocitocina – causa ejeção do leite pelas células mioepiteliais;

Causa contração do útero gravídico para expulsão do neném e após o nascimento ocorre o retorno do útero ao tamanho normal;

 

Hormônio Antidiurético – Causa a reabsorção de água no néfron, aumentando a pressão arterial e o volume do líquido extracelular.